Busca
Enquete
Você se preocupa com as mudanças climáticas e a proteção do meio ambiente?
Sim, e procuro causar o menor impacto possível ao meio ambiente, inclusive separando o lixo
Não, e prefiro deixar esse problema para as futuras gerações
Ainda não pensei sobre esse assunto

Parceiros
Siga-nos do Twitter
Dicas Importantes
Aventuras com crianças ou bebês
É possível e aconselhável?

 É possível sim e aconselhável aproveitar todo o contato com a natureza com crianças pequenas, incluindo bebês! E mais: eles adoram a experiência.
 
Desde que seja bem planejada para que todos possam aproveitar ao máximo, uma aventura com crianças pequenas certamente é uma experiência gratificante e pode trazer mais benefícios do que se possa imaginar. Atualmente, as preocupações com a segurança e o bem-estar dos pequenos não são mais pretextos para não se viajar com os mesmos.

Hoje em dia temos a disposição inúmeros equipamentos e produtos destinados exclusivamente a dar todo o conforto que ele precisa, desde carinhos de bebês próprios para terrenos acidentados/irregulares até cadeirinhas do tipo mochila em que a criança é carregada nas costas.

Além dos acessórios, a experiência de aventureiros acostumados a viajar com os filhos, e claro, a opinião de especialistas, também ajuda bastante para que as viagens sejam sempre bem sucedidas. Mas o ponto principal que se deve ter em mente é: paciência, disposição e jogo de cintura são itens de suma importância para que tudo dê certo. Não esquecendo que o bom humor também é essencial e deve estar presente a todo momento da aventura.

Desde que idade as crianças podem participar das aventuras?
A partir de 3 meses você já pode levar seu filho, mas o mais recomendável é esperar até os 6 meses, quando a criança já consegue sentar. Seja na montanha ou praia, você deve levar em conta a duração da viagem, o acesso, as condições climáticas do lugar, hospedagem e a infra-estrutura. Ter bom senso e sempre respeitar os limites da criança é vital. Para quem viaja com bebês de até 1 ano, procure fazer passeios curtos, de no máximo 3 horas. Ou seja, saia da pousada, faça a sua atividade, volte, dê tempo para a criança descansar e depois saia novamente.

Como fazer para que a criança não estranhe a mudança de ambiente?
O ideal são as viagens de até 3 dias. O primeiro dia normalmente é o mais difícil, mas com paciência e carinho, a criança vai se adaptar. O mais importante é manter a rotina de seu filho. Respeite os horários dela comer e dormir. Manter alguns hábitos facilita a adaptação. Procure dar a mesma alimentação, levar brinquedos e alguns objetos pessoais, como travesseiro e/ou cobertor. O mesmo vale em relação a produtos como marcas de alimentos, calçados, roupas e fraldas. Evite experimentar produtos novos durante uma viagem.

Em que tipo de atividades as crianças podem acompanhar os adultos?
Geralmente em atividades leves. No entanto, o mais importante é conhecer bem os seus limites físicos e os da criança. Não queira fazer caminhadas longas, se você não está acostumado ou preparado. Comece com passeios leves, saia cedo, procure lugares com terrenos planos e que tenham sombras para se abrigar. É importante sentir-se seguro para passar a sensação de segurança para a criança.

Qual o melhor meio de transporte?
Procure viajar sempre com seu carro ou ter um à sua disposição. Assim você terá uma maior autonomia, poderá parar ou voltar quando desejar, sem depender de outras pessoas. Durante a viagem, o ar-condicionado não deve funcionar o tempo todo. Quando estiver ligado, deixe o vidro um pouco aberto para o ar circular. Se o seu carro não possui esse acessório, mantenha os vidros abertos pela metade. Tente viajar bem cedo pela manhã ou no final da tarde, quando o sol já estiver fraco. Vale ressaltar também que percursos longos exigem algumas paradas. As pausas devem durar pelo menos em torno de 20 minutos. Pare num posto de gasolina ou restaurante na estrada, estique as pernas, distraia seu filho e dê a ele alimento e líquidos.

O que fazer para que a criança não se canse durante as caminhadas?
Antes de qualquer coisa, um adulto deve evitar sair para uma trilha sozinho com a criança. É altamente não aconselhável. Tenha sempre em seu grupo duas ou mais pessoas. O recomendável é realizar caminhadas leves de 1 ou 2 horas e evitar o período em que o sol está mais forte. Até os 20 quilos (3 ou 4 anos de idade), você pode se utilizar da cadeirinha tipo mochila. Deixe a criança andar em alguns trechos planos ou descidas e faça muitas pausas para descansar. Nessas paradas, os lanches fazem a diversão dos pequenos. Improvisar um piquenique, forrar o chão com uma toalha para que a criança possa comer ou brincar, a deixa muito satisfeita. Melhor ainda se tiver uma cachoeira ou riacho por perto.

Com que idade a criança pode entrar em rios ou cachoeiras?
O contato com a água pode ser estimulado desde bebê, molhando, de leve, os pezinhos e o corpo dele. O importante é não forçá-lo a entrar na água, pois a experiência pode ser negativa. Acima dos 3 anos, eles já podem entrar nos rios ou piscinas naturais, mas sempre aos poucos. Os adultos ou pais devem ter atenção redobrada, estando sempre por perto e verificando a profundidade da água, se não tem correnteza muito forte ou se está limpa. Mesmo que a criança saiba nadar, ela vai brincar com muito mais segurança e liberdade se estiver usando bóias ou colete salva-vidas.

Como proteger a criança dos insetos e do calor?
Roupas leves, muito líquido e chapéu garantem o bem-estar da criança. Nunca se esqueça do protetor solar, de preferência os fabricados especialmente para as crianças. O repelente pode ser à base de Citronela ou outro recomendado pelo pediatra, mas não deve ser aplicado diretamente na pele da criança. Coloque-o na roupa e nos objetos. No quarto, pode-se usar aqueles modelos de tomada cujo refil em pastilha possa ser trocado todas as noites. Num piquenique, aquele velho espanta insetos em aspiral, modelo tipo “Esperança”, também pode ser usado, desde que fique longe do menor.

O que fazer para que a criança não sinta medo das atividades?
Uma boa dica é preparar a criança psicologicamente. Mostre fotos do lugar e conte o quanto o passeio poderá ser divertido. Num acampamento, por exemplo, uma alternativa muito boa para a criança se sentir acolhida é colocá-la para dormir na barraca entre os pais.

O que levar na mochila?
Dependendo do tamanho da criança, ela pode ter uma mochilinha própria com alguns itens básicos. Dessa forma ela se sentirá totalmente integrada à aventura. No entanto na bagagem dos pais é de suma importância que tenha os seguintes itens: chapéu, tênis, sandália, roupas de calor, de frio e de banho, toalha, casaco de nylon, lenços umedecidos, protetor solar, repelente, água, um lanche saudável e alguns brinquedos.

Qual o melhor roteiro: praia ou montanha?
Em qualquer uma das duas opções, o recomendável é sempre fugir das temperaturas extremas. A primavera e o outono são as duas estações melhores para a viagem.

Seguindo essas orientações, você aproveitará plenamente o passeio e incutirá na criança, desde a sua tenra idade e de uma forma saudável, o espírito de aventureiro. Escolha o local, prepare-se com antecedência e tenha uma boa viagem!!!!

© Copyright 2000-2015 Trilhas RJ - Todos os direitos reservados